semanárioOSM 331

15/11/2016-21/11/2016

    Exemplo de página wiki contendo a nova função de Taginfo Taginfo expandida para mostrar exemplo de taglist na OSM-wiki 1 | Captura de Ecrã da OSM-Wiki sob CC-BY-SA 2.0

Mapeamento

  • [1] Jochen Topf expande o Taginfo para mostrar exemplos representativos na lista de etiquetas da wiki. Matthijs Melissen testou esta função nalgumas páginas. Se quiser ajudar o Matthijs, por favor contacte-o diretamente.

  • Agora o ImproveOSM é baseado no editor iD.

Comunidade

  • O utilizador PlaneMad explica a grande vantagem de utilizar IDs wikidata no OpenStreetMap e aponta para o método de trabalho da Mapbox quanto a adicionar tais IDs. Outros seguindo estas edições estão em discussão já que estas têm de ser consideradas edições automáticas.

  • Joost Schouppe salienta a importância da ação da comunidade que pode desviar o foco da equipa de desenvolvimento para questões que de outra forma seriam tratadas com menos prioridade. Organizadores comunitários em todo o mundo responderam às questões: principais dilemas ao organizar comunidades, ferramentas necessárias para as construir e o que está a funcionar de momento. Uma destas ferramentas é a Belgian Welcoming Tool, ferramenta de boas-vindas belga, que a comunidade espanhola está a implementar. (relatamos na semana passada)

  • A FOSS4G e o State of the Map Argentina 2017 ocorrerá em conjunto e em outubro no Instituto National Geographic com o apoio da OSGEO.

  • Chris Hill explica como utilizou ferramentas OpenStreetMap para construir um excelente mapa para o festival Clockenflap em Hong Kong sem tocar no melhor do OpenStreetMap, os seus dados.

  • O blog OpenStreetMap relata o lançamento da v2 do editor iD e sua ativação na página principal. No blog da Mapbox, Bryan Housal apresenta mais detalhes incluindo sobre algumas das novas funcionalidades.

  • Sebastian questiona-se sobre o significado das etiquetas place=locality que descobriu na Espanha rural.

  • Nelson pede ajuda à comunidade em geral quanto à etiquetagem de "estradas perigosas". A comunidade brasileira não consegue chegar a um consenso sobre como, por exemplo, etiquetar ruas que atravessam favelas para que o software de navegação não marque trajetos através destas áreas perigosas.

Fundação OpenStreetMap

  • Numa entrevista ao OpenCage Data, o membro da direção da OSMF, Martijn van Exel fala sobre a importância de angariar fundos. É essencial para permanecer independente, não dependendo integralmente de donativos empresariais. Dá também oportunidade à comunidade base para contribuir para a Fundação OSM.

Eventos

  • Um encontro no feminino ocorreu a 24 de Novembro, antes do State of the Map Latam, para que mulheres da comunidade tenham oportunidade de falar, debater e conhecer outras mulheres que participam no projeto.

  • O pedido de artigos para a FOSSGIS 2017, que ocorrerá em Passau de 22 a 25 de março, está lançado. Palestras sobre ideias, experiências de projetos para iniciados ou de tópicos avançados são bem-vindas. Palestras sobre geodados e seu processamento são também aceites.

  • A primeira edição do SysInfoLibre Abidjan 2016: Yunohost, SI Libre for librist collectives, dados abertos e OpenStreetMap na África Ocidental com a coletividade LesLibresGéographes, o projeto EOF e a Direction Francophonie Économique et Numérique of the International Organization of Francophonie (DFEN-OIF) ocorreu de 11 a 20 de novembro em Abidjan.

OSM Humanitário

Programação

  • No segundo aniversário do motor de navegação Valhalla, a Mapzen resume os destaques, apresenta a equipa de desenvolvimento e anuncia a versão 2.0 do Valhalla.

Releases

OSM nos média

  • Routefifty relata sobre Santa Catalina, em Los Angeles County, mas sem interesse suficiente para o Google. O artigo discute os problemas e desafios de mapas comerciais omissos e as benesses do OpenStreetMap e Mapillary.

Outras coisas “geo”

  • Richard Harris entrevistou Anthony Calamito, o principal programador da plataforma GIS de código aberto Boundless .

  • A Smithsonian publicou um artigo com um mapa interativo ilustrando a atividade vulcânica e sísmica ao longo do tempo com links para as ocorrências.

  • A Universidade de Maynooth na Irlanda propõe um novo protocolo para a vetorização de dados geospaciais criados por crowdsourcing.

  • Katherine Anderson fala sobre a 13ª reunião plenária da GEO na Rússia, que ocorreu para o lançamento do novo portal GEOSS, entre outros assuntos.

  • O procedimento para a criação do mapa do AuthaGraph (relatamos na semana passada) não foi publicado. Marcin Ciura descreve no seu blog, os métodos matemáticos para desenvolvimento de pseudo-authagraphs. O código fonte está disponível no Bitbucket. Para completar referimos a Projeção Dymaxion do arquiteto brasileiro Sérgio A. J. Volkmer.

  • A Correia do Sul rejeitou o pedido da Google para utilizar dados de mapas locais no serviço global da empresa por questões de segurança nacional se os dados fossem exportados para a Google. A Correia do Sul impede a exportação destes dados para empresas estrangeiras que não tenham servidores de dados domésticos.

  • Um curso de otimização combinacional na universidade de Bonn está determinado a encontrar o trajeto mais curto para visitar 24.727 pubs no Reino Unido, um exemplo do chamado problema do vendedor ambulante. Foi utilizado o Google Maps e dados de pubs fornecido por Pubs Galore. Um mapa interativo mostra o caminho otimizado e mais curto para visitar todos os pubs. Há um ano foi calculado o mesmo para Dublin utilizando dados Graphhopper e OpenStreetMap (relatamos (Deutsch))

Próximos eventos

Este semanárioOSM foi produzido por Hakuch, Peda, Rogehm, Spec80, derFred, wambacher.