semanárioOSM 473

06/08/2019-12/08/2019

Logo

Detailed analysis of OpenStreetMap contributions in North Korea 1 | style © Mapbox – data © OpenstreetMap contributors

Mapeamento

  • Um novo desafio da Maproulette convida-o a descobrir as, ainda intactas, estradas TIGER, no estado norte-americano de Washington. Mesmo 12 anos após a importação, ainda existem mais de 15.000 estradas, somente em Washington, nas quais nenhum mapeador trabalhou desde então.
  • Eugene Alvin Villar e outros membros da comunidade OSM das Filipinas tiveram o prazer de anunciar uma iniciativa para utilizar IA para melhorar a cobertura do OpenStreetMap nas Filipinas. Tabang-AI está descrita com mais detalhe na wiki.

Comunidade

  • Você sabia que está a contribuir para a criação de “uma pergunta clássica no cânone da cartografia digital: o estudo de caso do OpenStreetMap”? Não? Nem nós, até lermos _ “Mapeando-com”: A política da classificação no OpenStreetMap_. Clancy Wilmott lança um olhar, através da lente da cartografia crítica, sobre o sistema de etiquetagem do OpenStreetMap e conclui que devemos adicionar mais “ambivalência e imprecisão”.
  • O Centro Regional de Mapeamento de Recursos para o Desenvolvimento (RCMRD) organizou um programa de treino em ferramentas, dados e aplicativos de código aberto. Os participantes eram do Reino de Eswatini, Botsuana, Namíbia, África do Sul, Lesoto, Zâmbia e Zimbábue. Suchith Anand encorajou todos a fazer uso dos seus recursos de ensino e pesquisa.
  • A Gunmac informou sobre a sua sessão de ensino geográfico para crianças, na Escola Secundária de Tagores, na Índia.
  • Vincenzo Petito et al. descreve no seu trabalho a sua análise da rede rodoviária na Ligúria, antes e depois do colapso da Ponte Morandi, em Genau. Foram utilizados dados OSM. Devido ao desempenho, a biblioteca JGraphT foi atualizada para computação paralela.
  • Com a renderização dos dados OSM de Christian Quest, ao estilo francês do OSM, pode regressar a 2007 e de lá até 2011 (uma camada por ano).
  • Wonyoung So publicou uma análise detalhada das contribuições para o OpenStreetMap na Coreia do Norte, incluindo um relatório sobre as motivações e estratégias para mapear,
  • O que é exatamente “informação geográfica voluntária”? Esta é a questão que Christoph Hormann pondera.
  • Na conferência Pista ng Mapa,da semana passada, duas sessões foram sobre IA. A primeira foi uma conversa de Ardie Orden, da Thinking Machines, e a sua iniciativa Map the Gap, e depois um mapathon, usando o editor MapWithAI RapiD do Facebook e o Gerenciador de Tarefas da HOTOSM, para áreas próximas da cidade-sede de Dumaguete. Durante as atividades de encerramento da conferência, os organizadores anunciaram uma nova iniciativa para equilibrar ferramentas assistidas por inteligência artificial para identificar, priorizar e mapear a rede viária do interior das Filipinas, denominada Tabang-AI, uma palavra de Cebuano para colaboração ou para ajudar.

Fundação OpenStreetMap

  • A Fundação OpenStreetMap lançou um inquérito detalhado sobre as comunidades, quer a nível local, quer a nível global.

Eventos

  • Bennie do HeiGIT noticia um workshop de OSM da HeiGIT e GIScience HD, na Universidade de Jena.
  • Na semana passada, as comunidades locais do OpenStreetMap e do FOSS4G nas Filipinas, concluíram a sua primeira Conferência Pista ng Mapa, em Dumaguete. O defensor local GOwin escreveu uma entrada num diário com alguns números da conferência de 2019, com a participação de 166 participantes durante 2,5 dias.
  • HeiGIT apresenta, no Dia Aberto no Ministério das Relações Exteriores, nos dias 16 e 17 de agosto, em Berlim, o tema Ajuda Humanitária. Entre outras coisas, o trabalho no ambiente dos Missing Maps será apresentado.

OSM Humanitário

  • A Equipa Humanitária do OpenStreetMap lançou o seu plano estratégico para o triénio 2019-2021. O HOT tem como objetivo trabalhar mais rápido, produzir dados de maior qualidade e adicionar uma meta de mil milhões de pessoas ao OpenStreetMap.
  • Emmanuel Kourouma escreveu sobre a colaboração entre o GeoSynapse e os Médicos Sem Fronteiras para realizar uma sessão de duas semanas. O mapathon reuniu 30 mapeadores da organização GeoSynapse Guiné para digitalizar as “estradas, trilhos, caminhos e rios” da Sub-Prefeitura de Sanguiana e da Prefeitura de Kouroussa.

switch2OSM

  • Christian Nuessli, da Schutz & Rettung Zürich (Proteção Civil de Zurique, Suiça) anuncia (tradução automática), na lista de discussão suíça, que eles estão a usar os dados do OpenStreetMap no seu sistema de controlo de missão, há já um ano. A organização de defesa civil participará da coleta de dados e – exemplarmente – criou uma página wiki (tradução automática) com este objetivo e pergunta sobre possíveis desejos da comunidade e possível cooperação na recolha de dados.O tópico tem outros exemplos de como o OSM é usado por serviços de emergência em outros lugares na Suíça e na Alemanha.

Dados abertos

  • A Transport for London (TfL) compilou uma enorme base de dados de infraestruturas de ciclismo, cobrindo a Grande Londres. Agora, lançaram-na em modelo de dados abertos. A CycleStreets, de Cambridge, está a avaliar a qualidade dos dados e sua adequação ao OpenStreetMap. Eles devem relatar as suas conclusões em breve.

Licenças

  • O Grupo de Trabalho de Licenciamento consolidou todas as orientações de atribuição num documento e agora aborda alguns dos casos de uso que se tornaram comuns nos últimos sete anos. O anúncio de Simon Poole no OSM-Talk desencadeou uma discussão sobre o assunto.

Software

Programação

  • Cientistas do Zentralinstitut für Seelische Gesundheit (ZI), em Mannheim, juntamente com pesquisadores de geoinformática da Universidade de Heidelberg e pesquisadores do Laboratório de Saúde Mental no Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT) publicaram pesquisas (tradução automática) sobre o efeito das áreas verdes urbanas sobre o bem-estar dos moradores da cidade. Os participantes foram convidados a avaliar o seu estado de humor, várias vezes ao dia, usando smartphones especialmente equipados para o efeito, durante semana. Os sujeitos mostraram um bem-estar maior nas situações em que estavam cercados por uma proporção maior de espaços verdes na cidade.
  • Frederik Ramm propõe introduzir limites de upload na API do OSM. Há dois tickets do GitHub: um no repositório da porta Rails e um no repositório Cgimap.
  • A otimização de rotas geralmente resolve o Problema de Direcionamento de Veículos (um exemplo simples é o Problema do Caixeiro-Viajante mais amplamente conhecido). Um exemplo mais complexo seria a distribuição de mercadorias por uma frota de veículos múltiplos para dezenas de locais, onde cada veículo tem certas janelas de tempo nas quais pode operar e cada local de entrega tem certas janelas de tempo, nas quais pode ser servido (por exemplo, horário de um supermercado).Num novo exemplo de notebook Jupyter o HeiGIT analisa um típico cenário humanitário de distribuição de produtos médicos durante a resposta a desastres, após um dos piores ciclones tropicais em África, usando o OpenRouteService e o VROOM.
  • Paul Kernfeld explica alguns dos truques inteligentes de desempenho que tornam os dados do OSM armazenados no popular formato de arquivo .osm.pbf muito mais compactos que o XML.

Releases

  • A aplicação de mapas offline, baseada no OSM, Maps.Me suporta a Apple CarPlay, desde a última atualização. Assim, pode interagir com a aplicação através do carro, se ele tiver o Apple CarPlay integrado ou exibir a rota no sistema de infoentretenimento.
  • O StreetComplete v13.0 adicionou uma nova missão e aprimorou outras.

Sabia que…\Conhece…

Outras coisas “geo”

  • O OpenStreetMap Eslovénia direcionou a nossa atenção para o maior mapa OpenStreetMap impresso (tradução automática) de Liubliana, produzido pela empresa local Tam-Tam para direcionar as pessoas para uma caminhada cultural da capital. Infelizmente, os cartazes não possuem a atribuição apropriada.
  • Mapbox anunciou a abertura das suas operações no Japão. Trabalhando com seu parceiro no Japão, Zenrin, estão a criar novos mapas para o Yahoo! JAPÃO.
  • Matt Brown passou um mês a usar o Minecraft Earth pelas ruas de Londres e informou que rumo a Microsoft está a seguir em relação à plataforma.
  • A Nova Zelândia, tendo perdido (por um detalhe técnico … de novo) o título de rua mais íngreme do mundo para o País de Gales, não está a deixar a questão de parte. Planeia, de modo a recuperar o título: despejar betão na Rua Baldwin, ao estilo de “O inglês que subiu uma colina, mas desceu uma montanha”, selando uma seção da estrada ainda não formada ou, na falta dela, uma viagem ao País de Gales, com pás.
  • Sebastian Grüner descreve (tradução automática) os perigos de confiar numa análise automática de dados na elaboração de mapas. Inúmeros arranha-céus no Parque Nacional da Suíça Saxónica, sugestões para percorrer rotas históricas que agora estão oficialmente fechadas, por razões de conservação da natureza, ou instruções para subir escadas, são apenas alguns dos resultados que pode aproveitar.
  • A DC Rainmaker atualizou o seu guia para adicionar mapas gratuitos ao seu dispositivo Garmin Edge Series. O processo é muito mais fácil agora, graças ao Garmin.OpenStreetMap.nl..
  • A Agência Espacial Europeia patrocinou o desenvolvimento do Urban TEP, o primeiro mapa que combina satélites ópticos e de radar para criar um mapa de pegadas urbanas humanas do mundo. O mapa inicial foi criado, usando os dados de 2014-2015 das imagens de satélite multi-espectral do satélite Copernicus Sentinel-1 e Landsat-8. Mark Altaweel explica os usos aos quais estes dados podem ser aplicados.
  • Então você acha que é um mapeador dedicado? Ligue para nós quando puder bater a Família Cassini. Jay Foreman e Mark Cooper-Jones apresentam um pequeno vídeo sobre a história do primeiro mapa preciso do mundo: the Carte de Cassini.
  • A Universidade de Massachusetts, no Campus de Amherst, construiu uma ferramenta de software, denominada DeepRoof, que afirma ter alcançado uma precisão de 91% na identificação do potencial de energia solar de um telhado, usando dados de satélite, amplamente disponíveis (e baratos) de ferramentas como o Google Earth.

Próximos eventos

Onde O quê? Data País
Osaka みんなで東淀川区の魅力を発信しよう! 2019-08-18 japan
Melbourne Indigenous name mapathon 2019-08-20 australia
Aeroporto de Colônia-Bonn Bonner Stammtisch 2019-08-20 germany
Luneburgo Lüneburger Mappertreffen 2019-08-20 germany
Lübeck Lübecker Mappertreffen 2019-08-22 germany
Kameoka 京都!街歩き!マッピングパーティ:第11回 出雲大神宮 2019-08-24 japan
Bremen Bremer Mappertreffen 2019-08-26 germany
Salt Lake City SLC Map Night 2019-08-27 united states
Viersen OSM Stammtisch Viersen 2019-08-27 germany
Düsseldorf Stammtisch 2019-08-28 germany
Dortmund Mappertreffen 2019-08-30 germany
Galway Galway mapping party 2019-08-31 ireland
Maebashi オープンストリートマップセミナーとマッピングパーティ 2019-09-01 japan
Londres Missing Maps Mapathon London 2019-09-03 united kingdom
Estugarda Stuttgarter Stammtisch 2019-09-04 germany
Bochum Mappertreffen 2019-09-05 germany
Dresden Stammtisch Dresden 2019-09-05 germany
Montrouge Rencontre des contributeurs de Montrouge et alentours 2019-09-05 france
Minneapolis State of the Map U.S. 2019 [1] 2019-09-06-2019-09-08 united states
Edimburgo FOSS4GUK 2019 2019-09-18-2019-09-21 united kingdom
Heidelberg Erasmus+ EuYoutH OSM Meeting 2019-09-18-2019-09-23 germany
Heidelberg HOT Summit 2019 2019-09-19-2019-09-20 germany
Heidelberg State of the Map 2019 [2] 2019-09-21-2019-09-23 germany
Daca State of the Map Asia 2019 2019-11-01-2019-11-02 bangladesh
Wellington FOSS4G SotM Oceania 2019 2019-11-12-2019-11-15 new zealand
Grand-Bassam State of the Map Africa 2019 2019-11-22-2019-11-24 ivory coast

Nota: Se pretender ver o seu evento aqui, por favor coloque-o no calendário. Só dados lá colocados aparecerão no weeklyOSM. Por favor, verifique o seu evento na nossa pré-visualização pública, e corrija-a se necessário.

Este semanárioOSM foi produzido por Elizabete, Nakaner, NunoMASAzevedo, Rogehm, TheSwavu, derFred.